Profissional de Relações Públicas – Competências para o futuro

A maneira e a velocidade com que as pessoas consomem notícia e informação mudaram, os meios de comunicação, por si só mudaram, assim como a expectativa dos diversos públicos em relação às organizações e os governos. Porém, a essência das relações públicas continua a mesma: influenciar o comportamento das pessoas e suas atitudes por meio de relacionamentos significativos entre determinada organização e seus públicos. Portanto, considerando esse novo cenário, quais são as habilidades que os profissionais de comunicação precisam desenvolver para o futuro?

Segundo o Dr. Tom Watson e Chindu Dr. Sreedharan, ambos da The Media School at Bournemouth University, “os comunicadores precisam ser educados e treinados em habilidades superiores mais do que nunca”. Eles realizaram uma pesquisa entre os profissionais de comunicação na Europa, América do Norte e outros mercados para identificar quais serão as competências e as áreas de conhecimento mais importantes no futuro.

O relatório analisa respostas de altos profissionais em relação ao conhecimento, habilidades, relacionamentos, visão e habilidades gerenciais que os profissionais sênior de comunicação irão precisar nos próximos cinco anos. Além disso, o que será necessário para desenvolver a próxima geração de líderes na área de comunicação que irão atuar em organizações integradas globalmente.

Com base nos resultados do estudo e da literatura disponível, pergunta-se: o que será necessário para que os profissionais de comunicação se superem e, definitivamente, assumam uma posição importante no processo de tomada de decisão das empresas? O que podemos resumir em sete áreas fundamentais de desenvolvimento:

1 – Gestão estratégica:

Se os profissionais de comunicação querem destacar-se profissionalmente precisam dominar a linguagem empresarial e assumir uma visão gerencial em relação à comunicação. Dessa forma, eles serão valorizados e trarão valor ao negócio.

Para isso, o profissional precisa aprender um novo conjunto de competências, entender a indústria e o setor em que sua empresa atua, adquirir conhecimento de negócios e desenvolver uma visão estratégica sobre o valor da comunicação.

2 – Atuar como conselheiro:

Os altos executivos tomam decisões baseadas em fatores internos e externos e devem ser constantemente munidos de informações sobre os ambos, ou seja, o chamado “environmental scanning“. O papel dos gestores de comunicação neste cenário é o de considerar todas as questões relevantes e tendências do ambiente social e interpretá-los para facilitar a tomada de decisão pela  “coalizão dominante”.

Os gestores de comunicação precisam ser os “olhos e ouvidos” da empresa e assumir o papel de uma espécie de “radar corporativo”. Para tanto, é importante que o profissional  desenvolva habilidades de pesquisa, capacidade analítica e crítica e gerenciamento de problemas. Outras competências necessárias são gestão de conflitos, habilidades de comunicação para assessorar os altos executivos sobre como se comunicar, gerir relações e lidar com novas exigências.

3 – Competências Interdisciplinares

Segundo o estudo o profissional de comunicação precisa desenvolver um “conjunto de habilidades, conhecimentos e competências para atuar como consultores em pé de igualdade com seus colegas mais seniores”.

Como os departamentos de comunicação trabalham com diferentes áreas, é necessário desenvolver uma equipe com competências multidisciplinares capaz de planejar em colaboração com outros gerentes em áreas como marketing, jurídico, recursos humanos e finanças. Isso ajudará a comunicação entre os departamentos e facilitará a definição de prioridades, metas e recursos necessários, além de trazer mais consistência às mensagens.

4 – Stakeholders management e networking:

Desenvolver uma apurada habilidade de gestão dos stakeholders pode ser o diferencial na carreira de um profissional de relações públicas e um recurso valioso para o departamento de comunicação.

A capacidade de analisar o todo e tirar proveito de situações desfavoráveis denotam ser capaz de planejar com antecedência, considerando todas as possíveis reações dos diversos públicos, identificando os aliados e adversários e avaliando bem o potencial impacto na comunicação e na reputação da empresa.

Isso exige cultivar um amplo networking e ter poder de comunicação de forma a identificar aqueles que podem fazer uma real diferença, mantê-los bem informados e criar um ambiente favorável para a organização.

5 – Prova de desempenho:

Demonstrar o impacto da comunicação estratégica na eficácia da organização será mais relevante do que nunca para os profissionais de relações públicas e isso exigirá um maior nível de habilidades relacionadas à análise e planejamento aplicadas aos resultados.

Os profissionais de relações públicas precisam compreender que a comunicação estratégica deve ser planejada e gerida de acordo com os objetivos organizacionais. Isso também se reflete na maneira como o departamento de comunicação é avaliado dentro da organização. Portanto, apenas contabilizar em quantas matérias de jornal a empresa apareceu já não é mais aceitável e é por isso uma formação mais profunda e mais eficaz dos profissionais de relações públicas em mensuração de resultados e em pesquisa é necessária.

6- Ser o intérprete de mudanças e tendências:

Em organizações de alta performance, que sabem como utilizar a comunicação de forma estratégica, a capacidade de analisar as tendências no ambiente social e propor programas de comunicação com base nestes resultados é cada vez mais valorizado. O estudo ressalta que “os futuros comunicadores sênior precisam ser capazes de interpretar as mudanças e tendências em tecnologias e práticas de comunicação”.

7 – Internacionalização:

Hoje em dia os profissionais de comunicação estão cada vez mais expostos a problemas e atividades de comunicação internacionais e interculturais, devem, portanto, estar preparados para entender a nuance de diferentes culturas, a fim de propor soluções personalizadas e liderar as organizações nesse ambiente promovendo colaborações de sucesso.

Combinada com a influência das novas mídias nesta “aldeia global”, a importância do conhecimento intercultural – de saber como se comunicar transpondo as barreiras culturais e linguísticas e estar acostumado a trabalhar em um ambiente global – aumentou para qualquer profissional de comunicação.

This entry was posted in Artigos and tagged , . Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s